Desenvolvimento Web

Anotações de trabalhos em WordPress #01

Praticamente finalizando dois novos projetos em WordPress, quero documentar as soluções que adotei em ambos projetos.

Custom Post Type UI – plugin para criar Tipos de Posts Customizados (com recurso de escolher ícone no menu interno do WordPress, assim como já ajustar tradução, criar Taxonomias, etc)

Advanced Custom Fields – plugin para criar novos campos, seja em Posts e Page (padrões do sistema), seja para novos Custom Post Types.

WP Bulk Delete – plugin para apagar conteúdos em massa. Testei outras soluções, mas esse foi o que eu mais gostei, pois me permitiu apagar termos de taxonomias, assim como posts de Custom Post Types.

WP All Import Pro – permite importar conteúdos à partir de um arquivo csv ou xml. Com ele consegui mapear os campos de uma planilha CSV e inserir exatamente nos campos que eu queria no Custom Post Type, incluindo diferentes taxonomias.

Max Mega Menu – gosto de usar esse plugin para montar  e customizar menu, já vem com opção responsiva e na versão pro tem opção de inserir logo.

MetaSlider -Uma solução simples para slide/carrossel e muito funcional. Testei várias soluções e essa foi a que eu mais gostei para solução simples e responsivo.

Contact Form 7 – Oferece recursos interessantes para formulário de contato. Uso em todos meus projetos.

PHP Code Widget – quando algum tema ou builder não tem a funcionalidade que você precisa e é necessário inserir um código php extra e inserir o resultado no template via Widget.

Recent Posts Widget Extended – Gostei dessa solução porque permitiu trabalhar com posts recentes de Custom Post Types e customizar a saída de forma bem simples.

WordPress Popular Posts – De forma bem simples é possível mostrar tantos conteúdos de Posts, como de Page ou Custom Post Types; e possibilidade de customizar a saída de forma simples.

Search & Filter Pro – De forma bem simples conseguir montar uma formulário de busca avançada de um Custom Post Type com Taxonomias.

NextGEN Gallery – Testei várias soluções para galeria, mas essa é o que permitiu as customizações e visualizações que queria; um ponto a mais foi de criar uma customização para miniatura.

Menu Icons by ThemeIsle – Precisei colocar um ícone da rede social no menu e com o link da mesma… com esse plugin conseguir resolver de forma fácil.

MailChimp for WordPress – Integra de forma fácil com o Mailchimp e opções bacanas de customização.

Related Posts by Taxonomy – A primeira solução que testei e já resolveu o meu problema de relacionamento de conteúdos com termos de taxonomias de custom post types.

Yoast SEO – uma ótima solução para SEO

Slider Revolution – uma solução sensacional para criar slider/carrossel avançados.

Padrão
Desenvolvimento Web

Criando dropdown com posts no WordPress

Num trabalho recente havia a demanda de criar uma lista com todos os posts de um Custom Post Types e visualizar num dropdown e ao escolher uma opção seria direcionado para o respectivo conteúdo e resolvi assim:

Padrão
Desenvolvimento Web

Removendo largura e altura de imagens no WordPress

Normalmente tenho problema com imagens dentro de posts nas versões responsivas das páginas internas.

Para resolver esse problema uso um script em jquery para remover as medidas e ficou assim

Padrão
Linux

Lista de páginas criadas recentemente no MediaWiki

No meu wiki pessoal eu utilizava uma extensão que me permitia mostrar diferentes status de gestão do conteúdo, mas essa solução cai em depreciação e aos poucos estou procurando soluções compatíveis.

Agora consegui uma solução que sempre utilizei que é mostrar os artigos recém criados e para tal instalei a extensão RecentActivity.

Primeiro criei um diretório para a extensão e depois baixei o código

mkdir extensions/RecentActivity; cd $_
wget https://raw.githubusercontent.com/OrganicDesign/extensions/master/MediaWiki/RecentActivity/RecentActivity.php

Depois habilitei a extensão em LocalSettings.php

require_once "$IP/extensions/RecentActivity/RecentActivity.php";

Depois é adicionar na página que você quiser o código

{{RecentActivity:type=new|count=15}}

Mais opções de customizações da extensão na página do projeto https://www.mediawiki.org/wiki/Extension:RecentActivity

Padrão
Sem categoria

Formatando pendrive em Linux

Ao gravar a imagem iso no KDE Neon no meu pendrive, via Etcher, ele altera em muito o sistema de arquivos, ao contrário do Unetbootin que manten o sistema de arquivos atualmente.

O padrão dos pendrives é FAT32, sistema de arquivos do Windows. Quis alterar o sistema de arquivos para esse padrão e não deu certo no Windows 10.

No KDE Neon o utilitário padrão para gerenciamento de partições é o Partition Manager e foi com ele que fui criar a partição nova com mais espaço, pois já havia duas, uma para boot com menos de 3MB de espaço e outra com o restante do espaço. Esse com o boot abriu no Windows 10, mas o outro não.

Então usei o cfdisk para reforçar a terceira partição que crie como FAT32 e não deu certo. Verifiquei que a partição que abriu no Windows 10 usava uma identificação do sistema de arquivos ef e então alterei o sistema de arquivo para esse padrão e deu certo.

Padrão
Sem categoria

Testando cliente para TIDAL no Linux

Segui nos teste com o TIDAL e tem sido satisfatório usar tanto por LineageOS como pelo Firefox com Flash.

Instalei o KODI num ambiente virtualizado e rolou legal com TIDAL. Tive que instalar um add-ons indo em Music > Add-ons > Get more… selecione TIDAL e cliquei em Install e pronto! Depois foi necessário autenticar no TIDAL. No caso de montar um media center realmente é uma boa solução.

Tentei compilar o Tomahawk com suporte ao TIDAL, mas não deu certo. Não temos mais tanta paciência para contornar problemas de compilação.

Vi que tem outras duas soluções para rodar o TIDAL em Linux, uma em modo texto, o tidal-cli-client, e o wrapper tidal-music-linux, ambos em NPM com diferentes complementos. Também não tive sucesso em ambos.

Por hora deu de testes, vou seguir com a solução via browser e mais para frente KODI pro media center.

Padrão
Linux

Dividindo arquivo CSV e mantendo o cabeçalho

O script abaixo pega um arquivo csv e quebra em pedaços com o limite de 5000 linhas, acionando o sufixo .csv no arquivos gerados e copiando o cabeçalho.

tail -n +2 fotos.csv | split -l 5000 --additional-suffix=.csv - split_
for file in split_*
do
 head -n 1 fotos.csv > tmp_file
 cat $file >> tmp_file
 mv -f tmp_file $file
done
Padrão
Tecnologia da Informação e Comunicação

Usando TIDAL

Enfim conseguir decidir: vou usar TIDAL como serviço de streaming musical. O primeiro motivo para usar é pelo fato do principal dono ser negro, o JAY-Z. Raramente deixo o meu dinheiro com algum negro e quero reverter aos poucos essa realidade. Outro motivo é sobre a renumeração do artista, a TIDAL é a segunda empresa que melhor remunera o artista a cada música tocada.

Cheguei a usar o Spotify, mas depois que li matéria dizendo sobre a empresa havia mudado os termos e pode compartilhar dados bancários de seus usuários resolvi trocar o serviço para TIDAL, pelo simples fato de ser do JAY-Z. Mas vi que não era bem assim, a Spotify não havia alterado dessas forma, pelo menos é o que diz na fonte original da matéria, após atualizações.

No começo senti bastante diferenças entre o Spotify e o TIDAL, mas rolava um lag e travamentos, sei lá, era um incomodo de vez incomodo. Outra coisa que ele, o TIDAL, não tinha cliente Desktop para Linux e o Spotify tem. Bem ignorei esse fato e só usava no Android mesmo.

Eu sempre tive músicas em meu computador, seja “ripadas” de algo que comprei ou ganhei, seja de downloads na internet. Como troquei o disco do computador para SSD e esse tem o limite de 120G não irei rolar de manter meus áudios, pois tinha cerca de 115G de música. Vou colocar um adaptador no local do leitor de DVD e ter o disco de 1T novamente, mas realmente não quero mais ter músicas armazenadas dessa forma.

Bem, ainda hoje o TIDAL não tem cliente Linux, mas vi que o tocador Tomahawk dá suporte a TIDAL em sua versão desenvolvimento (instalei a versão padrão para já ir conhecendo o software e logo vou compilar a versão desenvolvimento para vê se rola mesmo). Um amigo sugeriu usar o KODI, pois ele tem suporte para o TIDAL, vou estudar também e vê qual player eu adoto por padrão.

Uma coisa chata é que para usar o TIDAL via browser preciso ter o Flash instalado 🙁 com o Flash que vem padrão no Ubuntu não deu certo e instalei dessa forma:

sudo sh -c “echo ‘deb http://archive.canonical.com/ubuntu $(lsb_release -cs) partner’ >> /etc/apt/sources.list”
sudo apt-get update
sudo apt-get install adobe-flashplugin

Aí funcionou 🙂

Estou usando o recurso de offline em nos dois smartphone (no plano que contratei é possível usar em três aparelhos).

A assinatura que estou contratando custa R$ 16,90. Como estou sem cartão de crédito internacional a solução é usar o serviço de cartão pré-pago internacional da Paypal.

Padrão
Tecnologia da Informação e Comunicação

Testando ROMs no Android

Sigo testando ROMs em meus smartphones e tem sido bem legal ir se apropriando de conceitos e tecnologias nessa área. Tenho um Zenfone 5 (ASUS T00J) há 3 anos e recentemente comprei um Nexus 5 usado no enjoei.com.br.

Essa semana resolvi atualizar a versão de Android do meu Zenfone e deu certo 🙂 usei um tutorial do Asus Fanáticos e agora estou usando Android 5, o padrão até então era 4. Ficou muito mais rápido!

No Nexus 5 está rodando atualmente o LineageOS, como comentei em outro post. E nele instalei também o Ubuntu Touch, tudo isso usando o Magic Device Tool.

Na versão 4.4, codinome Kitkat, do Android não suporta Webview e várias aplicações não funcionam. Cerca 10% de usuários ainda utilizam essa versão do sistema.

Padrão
Tecnologia da Informação e Comunicação

Baixando arquivo no Dropbox via comando no Linux

Apareceu a necessidade de baixar um arquivo com mais de 1G e queria manter uma versão local e outra online e para não ter que fazer re-upload tive que descobrir como fazer isso via wget e o comando é:

wget -O ~/test.txt "https://www.dropbox.com/s/mx9eqve5l2ipgyk/test.txt?dl=1"

Normalmente a endereço compartilhada tem o valor 0 em dl=0, no final do arquivo e só alterar para 1. No caso do parametro -O é para salvar o arquivo com nome diferente, pois caso contrário ficar com o ?dl=1 no nome do arquivo.

Referência utilizada:

Padrão